26 abril 2011

Evitando Cólicas em Recém-nascidos

 ****
 Hoje foi a primeira visita do Lucas a pediatra e ela me falou sobre muitas coisas, especialmente sobre a amamentação e sobre cólicas, achei esse texto na internet que fala exatamente o que ela me passou. Ótima dica para mamães...

O início dessas cólicas começam a ocorrer algumas semanas após o nascimento, e desaparecem com 5 a 6 meses de idade. Durante esses momentos, o bebê chora muito devido às dores abdominais. Freqüentemente, isso ocorre em horas, mais ou menos constantes, do dia ou da noite, ocorrendo mais comumente no fim da tarde ou à noite.

Mas o que causam essas cólicas?

Na verdade, não se sabe ao certo o que realmente causam essas cólicas, porém, existem alguns fatores que são associados à elas, como o tipo de alimentação e a condição física do bebê.

A região digestiva do bebé é ainda imatura quando ele nasce. Assim, ele só é capaz de digerir o leite materno. Qualquer outra substância pode lhe causar cólicas. Porém, é importante que as mães sigam uma dieta especial nesse período, pois qualquer alimento, bebida ou medicamento que elas ingerirem, vai directamente para a composição do leite materno.

O sistema digestivo do recém-nascido tem dificuldade de digerir substâncias muito fortes ou apimentadas, além disso, substâncias que causam gás, também não são recomendadas. A mãe, ao alimentar-se, deve sempre se perguntar se o alimento que ela está comendo, também agrada ao paladar e a saúde do bebé.

O que a mãe deve fazer?

As mães que estão amamentando devem seguir um dieta bem suave, ingerindo, por exemplo, arroz e mingau de aveia. Após 3 ou 4 meses, pode-se começar a ingerir comidas mais saborosas, pois o sistema digestivo do bebê estará mais maduro.

As mães devem evitar, também, comidas que causam gazes, como por exemplo: feijão, brócolis, ovos, cebola, repolho, couve-flor e rabanete. Os derivados de leite, laranja, limão, chocolate, tomate, café, refrigerantes e frutos do mar devem ser pouco consumidos, pois são comumente causadores de alergias.

Se a mãe, por algum motivo, não pode dar de mamar ao seu filho, o leite de vaca não é a melhor opção, pois é muito comum causar reações alérgicas em bebés. Por isso, uma boa opção, é o leite de soja.

O mais importante é que a mãe preste atenção em sua alimentação e como o bebé esta reagindo a ela. Se ele está sentindo muita cólica, pense qual alimento pode estar causando isso e evite durante uma ou duas semanas. Observe o que acontece.

Fonte: http://www.dragteam.info/forum/maternidade-planeamento-familiar

***

Mais algumas dicas....

Sono:
Na primeira semana, o recém-nascido dorme de 15 a 20 horas por dia, porém alguns não dormem entre as mamadas, ficando acordados por várias horas.
Choro:
No recém-nascido normal é a expressão de algum desconforto. São casos freqüentes: a fome, a sede, o frio, fraldas molhadas, as roupas apertadas e/ou incômodas, a coceira, as cólicas e a irritabilidade por excesso de estímulos ambientais.
Regurgitação:
É comum e consiste na devolução freqüente de pequeno volume alimentar, logo após as mamadas. Quase sempre, o leite volta ainda sem ter sofrido ação do suco gástrico. Se o ganho de peso do bebê for satisfatório, consideramos uma situação normal e benigna, nada sendo preciso fazer para corrigir.
Funcionamento Intestinal:
"Fezes do leite materno"; no início, as fezes são meconiais (verde bem escuro, quase preto e grudentas, parecendo graxa), que se tornam depois esverdeadas com muco e posteriormente amareladas e pastosas. As crianças amamentadas ao seio materno, habitualmente, apresentam várias evacuações por dia, com fezes liqüefeitas, sem repercussão para a hidratação do bebê e que não necessitam de tratamento.
Soluços e espirros:
Os soluços são freqüentes quando a criança está descoberta, na hora do banho, quando manuseadas e, as vezes, após as mamadas. Não provocam nenhum mal e cessam espontaneamente. Os espirros ocorrem freqüentemente e não devem ser atribuídos a resfriados.

Fonte: http://www.pcg.com.br